Acessibilidade Arquitetônica para surdos: implante coclear no Decora (GNT )

Você conhece acessibilidade arquitetônica para surdos?

O programa Decora, da GNT, abordou a reforma da sala de uma criança surda usuária de implante coclear. Theo possui 4 anos e recentemente realizou a cirurgia de implante coclear.

Mauricio Arruda (apresentador) e Theo (surdo e usuário de implante coclear)

No programa, a mãe Giselle relata como foi o diagnóstico do Theo, a rotina de terapias e a evolução no desenvolvimento da criança.

Eu, como mãe de uma criança surda e que também usa implante coclear, entendo plenamente o relato da Giselle sobre cansanço com as terapias da criança e com a cobrança interna de resultados na evolução do tratamento. Além do mais, muitas vezes amigos e familiares não entendem que a rotina de terapias, consultas e exercícios é puxada e que bate aquele cansaço físico e mental. Mas, apesar disso tudo, agradecemos a evolução de  nossas crianças e comemoramos cada conquista como se fosse um gol na copa do mundo! O implante coclear, ao meu ver, é uma tecnologia maravilhosa, um verdadeiro "milagre da medicina" capaz de substituir um órgão (cóclea) e transformar vidas, proporcionando um mundo com sons.

Mas você conhece acessibilidade arquitetônica para surdos? O que pode ser feito aí na sua casa, consultório, escola e ambientes que precisam de acessibilidade?

No programa Decora, o Mauricio Arruda, arquiteto e apresentador, além de criar um espaço organizado e lúdico, apresentou dois tipos de acessibilidade super interessantes, sendo elas:

1) Revestimento acústico instalado no teto ou na parede.

2) Interruptor adaptado na altura da criança para que ela possa chamar sua mãe ou responsável.

Veja as imagens abaixo:

Existem várias barreiras em relação à falta de acessibilidade do surdo, entre elas a comunicacional e arquitetônica.

Poucos conhecem, mas surdos precisam de acessibilidade na acústica do ambiente. A maioria das pessoas imaginam que pelo fato do surdo estar usando aparelho auditivo ou implante coclear, que não há necessidade de se preocupar com a acústica do ambiente, o que não é verdade!

Os aparelhos auditivos, por exemplo, amplificam o som do ambiente, mas daí eu te pergunto: "E se o som do ambiente não estiver bom?"

O implante coclear, inserido por cirurgia, substitui as funções da cóclea. Ele também é conhecido como ouvido biônico e, por ser uma audição eletrônica e não natural (humana), apresenta algumas limitações em frequências e decibéis.

Sempre gosto de esclarecer esses pontos, pois muitas pessoas imaginam, pelo fato da pessoa usar aparelho auditivo ou algum implante, que a audição do surdo é igual a de um ouvinte, o que não é verdade. Isto porque no dia a dia as pessoas não estão acostumadas a falar de acessibilidade. Por isso, é necessário esclarecer que se o ambiente necessita de reparos na acústica, deve-se dar bastante atenção a este aspecto.

Para os arquitetos e designers que buscam conhecer sobre a acessibilidade para surdos, realizar um projeto com acessibilidade apresenta desafios, envolve praticidade, funcionalidade e também beleza, pois as pessoas com deficiência não querem ambientes sociais com cara de hospital!

Você já conhecia sobre o revestimento acústico "faça você mesmo" apresentado no Decora?

Super interessante!

Segundo o fabricante, trata-se de uma espuma acústica lisa em formato hexagonal para ambientes que necessitem de tratamento acústico, sendo que este design hexagonal permite formar desenhos e diversos tipos de painéis. Pode ser instalado no teto ou na parede e serve para eliminar reverberações (ecos), melhorando a acústica interna e tornando o ambiente mais confortável em sua acústica e agradável visualmente. Não serve como isolamento acústico.

SUGESTÃO DE USO DESSA ESPUMA HEXAGONAL:

1) Revestimento apenas no teto com a espuma acústica: Ambiente com reverberação controlada;

2) Revestimento no teto com a espuma acústica e montando 6 placas nas paredes: Ambiente equilibrado. Pouca reverberação;

3) Revestimento completo do ambiente com a espuma acústica: Ambiente mais "seco", praticamente zero de reverberação.

Pode ser usado em ambientes como sala de casa, sala de reunião, sala de aula, auditório, teatro, cinema, restaurante, estúdios musicais, rádio/TV e outros.

Fonte: Decora - GNT e Vibrasom